ORQUESTRA FILARMÓNICA PORTUGUESA



MAESTRO – OSVALDO FERREIRA

Osvaldo Ferreira, na qualidade de diretor convidado, em 2016/2017 irá apresentar-se com a Orquestra Filarmónica de S. Petersburgo, Teatro Nacional de São Carlos, Orquestra do Luxemburgo, Orquestra Gulbenkian em Lisboa, Orquestra Sinfónica de Nuremberg e Bühnen-Halle na Alemanha, Orquestra Sinfónica da Venezuela (onde gravará novo CD) e com a Orquestra do Estado Russo em Moscovo, entre outras. Irá ainda ministrar masterclass de direção de orquestra no Conservatório de S. Petersburgo, no Conservatório do Luxemburgo e no Conservatório de Música de Castelo Branco. Irá ainda gravar mais dois CDs que irão somar na sua já vasta discografia.

Osvaldo Ferreira, é atualmente o Diretor Artístico da Orquestra Filarmónica Portuguesa e da Sociedade de Concertos de Brasília. Foi o diretor musical e regente titular da Orquestra Sinfônica do Paraná de 2011 a 2014 e diretor da Oficina de Música de Curitiba.

Em Portugal, foi diretor artístico da Orquestra do Algarve, diretor artístico do Festival Internacional de Música do Algarve, diretor e administrador do Teatro Municipal do Faro. Gravou vários CDs com obras de autores portugueses para a Editora Numérica e um CD duplo com Sinfonias de Mozart. Com a Orquestra do Algarve, apresentou-se em Viena, Bruxelas, Lisboa, Sevilha, Porto, Curitiba e Londres.

O seu percurso inclui mais de 600 concertos, cerca de 70 apresentações de óperas e bailados e ainda a apresentação integral das Missas e Requiem de Mozart em 2007.

No seu percurso destaca-se o seu trabalho á frente de importantes orquestras, tais como, Orquestra Filarmónica de S. Petersburgo, Orquestra Sinfónica de Roma, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Brasileira, Orquestra de Praga, Orquestra Filarmónica de Lodz, Orquestra Filarmónica da Silesia, Orquestra Sinfonic de Nuremberga, Orquestra Filarmónica da Radio Renana, Orquestra Nacional do Porto, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Mozarteum de S. Petersburgo, Orquestra do Teatro Nacional S. Carlos em Lisboa, Orquestra do Teatro Olimpico de Vicenza, Orquestra da Extremadura de Espanha, Orquestra da Catalunha, North Shore Orchestra em Chicago, Orquestra do Festival de Aspen nos Estados Unidos e ainda a Orquestra Nacional da Venezuela.

Realizou Mestrado em direção de orquestra em Chicago e pós-graduação no Conservatório de São Petersburgo, na classe de Ilya Mussin. Laureado em 1999 no Concurso Sergei Prokofiev, na Rússia. Recebeu o “Fellowship” do Aspen Music Festival nos EUA, onde freqüentou a American Conductors Academy. Foi assistente de Claudio Abbado em Salzburgo e Berlin. Estudou ainda com Jorma Panula e David Zinman, foi bolsista do Ministério da Cultura de Portugal e da Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa.

VIOLONCELO – ALEXANDER RAMM

Alexander Ramm é talvez um dos mais talentosos e aclamados violoncelistas da sua geração. O seu estilo combina virtuosismo, profundo entendimento do espírito do compositor, intensidade emocional, articulação clara do arco e distinção artística.

Alexander Ramm nasceu em maio de 1988 em Vladivostok. Iniciou os seus estudos na Escola de Música Infantil Glière em Kaliningrado (classe de Svetlana Ivanova)  e posteriormente no Colégio de Performing Arts de Chopin em Moscovo (classe de Marina Zhuravlyova). Em 2012 Alexander graduou-se no Conservatório de Moscovo e recebeu então o diploma de pós-graduação (classe de Prof. Natalia Shakhovskaya, URSS).

Atualmente aperfeiçoa os seus conhecimentos com Frans Helmerson em Hanns Eisler College (Hochschule für Musik Hanns Eisler). Realizou masterclasses nas oficinas da Academia Musical de Courchevel e na International Holland Music Sessions (2010), onde estudou com professores de música de primeira linha como Philippe Mueller, Reinhard Latzko, Maria Kliegel e Uzi Wiesel. Participou também no Festival Academy (2011), onde foi tutorado por Gary Hoffmann, Frans Helmerson, Masaaki Suzuki, Lawrence Power e Ferenc Rados.

Formou-se na Verbier Festival Academy sendo-lhe atribuído um prémio da Fundação Neva (Genebra, Suíça).

Alexander Ramm ganhou, em 2015,  a medalha de prata no International Tchaikovsky Competition bem como outros concursos musicais  incluindo a I edição do Boston International Competition (Boston, Massa, 2005) e o National Competition of Music (Moscovo, 2010). Atualmente é o único finalista russo e laureado  do mais prestigiado Paulo Cello Competition em Helsínquia (2013).

Alexander Ramm está ativamente envolvido em todos os grandes projetos da Casa da Música de São Petersburgo e participa regularmente em projetos que promovem jovens talentos apresentados pela Sociedade Filarmónica de Moscovo incluindo o programa "As Estrelas do Século XXI", tanto em Moscovo como em torno da Rússia e participa também no Festival de Páscoa de Moscovo fundado por Valery Gergiev.

Alexander Ramm apresentou-se em várias cidades da Rússia, Lituânia, Suécia, Áustria, Finlândia, África do Sul, Japão, França e Bulgária. As principais salas de concertos do mundo estão sempre dispostas a apresentar os seus concertos a solo. Já se apresentou no Brucknerhaus (Linz), no Nikkei Hall (Tóquio), no Concertgebouw (Amsterdão), no Mariinsky Theatre Concert Hall e no Tchaikovsky Concert Hall.

Alexander Ramm já colaborou extensivamente com os principais maestros do mundo: Constantine Orbelian, Vladimir Spivakov, Valery Gergiev, Alexander Sladkovsky e Valery Polyansky.

ORQUESTRA FILARMÓNICA PORTUGUESA

A Orquestra Filarmónica Portuguesa nasce por iniciativa do Maestro Osvaldo Ferreira e do violinista Augusto Trindade que decidiram juntar alguns dos mais representativos músicos da nova geração, muitos deles vencedores de prémios nacionais e internacionais e que fizeram parte da orquestra de jovens da União Europeia.

A Orquestra, ainda sob a designação de Orquestra Euro-Atlântica, realizou os seus concertos inaugurais no início do mês de Maio, no Europarque integrado no 39º Festival Internacional de Música de Paços de Brandão e no Centro Cultural do Arade e ainda no Festival Cistermúsica de Alcobaça em Julho, com enorme sucesso tanto por parte do público como da crítica especializada tendo agendadas várias apresentações para a temporada de 2016/2017.

A Orquestra Filarmónica Portuguesa utiliza um modelo flexível, original, criativo, cuja sustentabilidade é adequada, tornando-a exequível no imediato, que utiliza uma estrutura de recriação de itinerário de história e vivências passadas desenvolvendo uma empatia com público, seja turista ou residente, contribuindo para a dinamização da economia e do turismo Português, revelando o que de melhor se faz dentro de fronteiras nacionais.

Integram a orquestra os melhores instrumentistas, na sua quase exclusividade, não integrantes de qualquer outra orquestra, que em períodos específicos se juntam para a realização de grandes programas orquestrais.

Os espetáculos em rede enquadrados nos programas promocionais turísticos das diversas regiões, sobretudo vocacionados para a época baixa mas não descartando a animação do Verão, essencial para marcar quem nos visita, são uma mais-valia económica pelo baixo preço, diferenciando-se do conceito das orquestras tradicionais.

A Orquestra Filarmónica Portuguesa apresenta uma flexibilidade que permite a realização de um itinerário animado, que se reflete no panorama Nacional, Continental e Regiões Autónomas, ou Internacional, em rede, acrescentando valor através de uma ação que faz frente à real inexistência de ações do mesmo carácter no País, ou seja, à exposição de grandes repertórios sinfónicos, pela estrada fora.

Programa:

  • 1ª Parte - Antonín Dvořák - Cello
  • Concerto em Si menor, Op. 104, B. 191
  • 1. Allegro 
  • 2. Adagio, ma non troppo
  • 3. Finale: Allegro moderato - Andante - Allegro vivo 
  • Solista – Alexander Ramm
  • 2ª Parte - Rachmaninov - Sinfonia n° 2
  • em Mi menor Op.27
  • Largo - Allegro moderato. 
  • Scherzo; Allegro molto - Meno mosso - Allegro molto. 
  • Adagio. 
  • Allegro vivace.

Local: Grande Auditório Europarque | Hora: 17h30 | Tipologia: Sinfónico | Público-Alvo: População em Geral | Informações: geral@cirac.pt ou 227 459 829 / 918 923 529


Agenda

21h30
6 de Maio

Grande Auditório

Roby Lakatos & Ensemble
ver evento
19h00
12 de Maio

Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão

Concerto de Laureados
ver evento
21h30
20 de MAIO

Igreja de Paços de Brandão

Yang Liu (Violino) + Solista OFP
ver evento

17h30
28 de MAIO

Auditório do CiRAC

Rumos Ensemble "Percorrendo Portugal"
ver evento
18H00
2 de Junho

Cineteatro António Lamoso

Violiníssimos da Academia de Música de Paços de Brandão + Ritmare (Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas)
ver evento
17h30
4 de Junho

Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão

Miroslav Kultishev (Piano)
ver evento

17h30
11 de Junho

Grande Auditório Europarque

Orquestra Filarmónica Portuguesa
ver evento
21h30
17 de Junho

Grande Auditório do Europarque

L’Rolling Clarinet Band
ver evento
18h30
18 de Junho

Igreja dos Passionistas

Missa da Coroação - Mozart
ver evento

O Festival

O Festival Internacional de Música de Verão de Paços de Brandão (FIMUV) é um projeto cultural do CiRAC – Paços de Brandão, uma associação cultural, de âmbito juvenil que, desde 1977, de forma ininterrupta, tem vindo a realizar este Festival. Em 2017 o FIMUV comemora a sua 40ª edição sendo, por isso, um dos mais antigos festivais de música clássica apoiados pelos organismos que tutelam a Cultura em Portugal (DGArtes /Ministério da Cultura – ou Secretaria de Estado da Cultura).

Pela direção artística deste Festival já passaram grandes nomes do panorama nacional e internacional, tais como o maestro António Victorino de Almeida e o músico/instrumentista Carlos Piçarra Alves (clarinetista e membro do júri da DGArtes/Ministério da Cultura). Cada um dos diretores artísticos teve um papel relevante e diferenciador para, através da programação cultural, trazer dimensão e notoriedade ao FIMUV.

Em 2012, a Direção do CiRAC – Paços de Brandão convidou o músico/instrumentista e professor universitário Augusto Trindade (violino), cujo percurso profissional e artístico vieram potenciar a dinâmica deste projeto no território cultural de Santa Maria da Feira e da Grande Área Metropolitana do Porto. Com esta escolha foi possível consolidar sinergias com outras instituições locais e nacionais ligadas à Música, nomeadamente a Academia de Música de Paços de Brandão, a Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, bem como outros Festivais de Música e agentes culturais.

A matriz do FIMUV assenta, essencialmente, na dinamização, descentralização e promoção da atividade cultural, através da Música, num território geográfico que vai da Grande Área Metropolitana do Porto até à Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, pelo que, toda a programação é pensada tendo em conta a sustentabilidade do projeto, as necessidades relativas à oferta cultural e públicos, o livre acesso e fruição da Cultura.

Tendo em conta a realidade geográfico-territorial onde está inserido, o FIMUV, nas propostas que apresenta, tem vindo a valorizar o potencial artístico e criativo dos agentes culturais locais, desenvolvendo projetos de cooperação e parceria que cruzam a atividade destes agentes com outros de âmbito nacional e internacional.

Entram no rol de parceiros do FIMUV a nível local, nacional e internacional, entre outros, os seguintes agentes: a Academia de Música de Paços de Brandão, o Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas, o Museu do Papel, o Museu de Santa Maria de Lamas, a Casa da Música – Porto, Festival de Sintra, Câmara Municipal de Castelo Branco, ESART, Concurso Internacional de Música “Terras de La Sallete”, Concurso Internacional de Música do Fundão, Folefest, Casa da Música de S. Petersburgo e Embaixada da Rússia.

O 40° Festival Internacional de Música de Verão, em 2017 será realizado entre 6 de maio e 18 de junho. Contará com 9 iniciativas, envolvendo concertos, recitais, projetos educativos e outros, com propostas de elevada qualidade artística e cultural, na sua maioria gratuitas, a terem lugar em diversos espaços da vila de Paços de Brandão e do concelho de Santa Maria da Feira.

Para 2017 a programação contempla uma programação diversificada que vai desde um concerto de Música de Câmara com a participação do prestigiado violinista Yang Liu, acompanhado por Solistas da Orquestra Filarmónica Portuguesa, um concerto sinfónico, com a recém-criada Orquestra Filarmónica Portuguesa, dirigida pelo Maestro Osvaldo Ferreira, tendo como solista Alexander Ramm, violoncelista premiado em vários concursos internacionais, passando por um recital de piano com o pianista russo Miroslav Kultishev, laureado no 13° International Tchaikovsky Competition (Casa da Música de S. Petersburgo), e ainda a apresentação de projetos pedagógicos e de música coral com a interpretação da Missa da Coroação de Mozart, por um misto de diversos grupos corais, envolvendo o Coro do CiRAC, o Coro do Orfeão Universitário do Porto e o Coro da Sé Catedral do Porto com o acompanhamento musical da Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira, dirigida pelo Maestro Paulo Martins.

De salientar ainda a inclusão na programação de dois concertos com nomes atuais, de referência no panorama musical, nomeadamente: Roby Lakatos, conceituado violinista na vertente World Music, ou os L´Rolling Clarinet Band, grupo de excelência na vertente de sopros.

Galeria

Contatos

Círculo de Recreio, Arte e Cultura

Avenida da Sobreira, 328, 4535-334
Paços de Brandão, Portugal

geral@cirac.pt (+351) 227 459 829