CONCURSO INTERNACIONAL CIDADE DO FUNDÃO

O Concurso Internacional “Cidade do Fundão” vai na sua 17ª Edição. Começou por ser um desafio de âmbito pedagógico, idealizado por um grupo de professores da então recém- criada Academia de Música e Dança do Fundão, a nova valência da Santa Casa da Misericórdia do Fundão, cujo intuito visava, inicialmente, facultar novas experiências aos alunos de música da região, promovendo-os, divulgando o trabalho que se realizava na Academia e proporcionando-lhes contactos com alunos e professores de outras escolas de música de Portugal.

Contrapondo os Concursos tradicionalmente já existentes em Portugal em meios de maior visibilidade e recursos, o Concurso do Fundão tem vindo a afirmar-se ao longo destes 17 anos de existência no plano cultural nacional e internacional; para isso tem contribuído o elevado número de concursantes que o procuram anualmente e a qualidade dos jurados que nele fazem parte.

Gradualmente e de uma forma faseada, o concurso tem vindo a abarcar diferentes variantes. Inicialmente apenas com o Piano, ao qual se foram juntando sucessivamente a Guitarra, o Violino, o Canto e no ano de 2016, o Violoncelo. Incentivar e cultivar nos jovens o gosto pela música, foi e será sempre o apanágio deste concurso, agora de âmbito Internacional. Dar a conhecer e divulgar a música erudita de compositores portugueses, através de novos repertórios, no nosso país e além-fronteiras, é outro dos requisitos que esteve na base da criação deste concurso. A parceria com outras instituições semelhantes, tanto em Portugal como no estrangeiro, nomeadamente no Brasil, tem contribuído para a realização de concertos, promovendo os laureados que mais se destacaram em cada edição do Concurso Internacional “Cidade do Fundão”. Combater a rotina em prol do dinamismo cultural dos jovens continuará a ser a nossa aposta futura.

CONCURSO INTERNACIONAL TERRAS DE LA SALETTE

A música relaciona-se com outras áreas da educação e formação da humanidade como, por exemplo, a Matemática, Ciência, Atividade Física, Atividade Social, Arte/Tecnologia e Linguagem, tendo sido veículo de importantes permutas culturais e suporte essencial de tantas outras artes como a poesia, a dança, o teatro e o cinema. O município de Oliveira de Azeméis acreditando ter responsabilidade no processo de educação pela música e com o objetivo de estimular os jovens para o seu estudo promoveu, em 2006, o I Concurso Distrital de Música na especialidade de Instrumentos de Sopro.

Nessa edição participaram todos os alunos e músicos pertencentes a bandas de música, escolas, academias e conservatório do distrito de Aveiro. Participaram 92 músicos com os instrumentos de Flauta, Clarinete, Saxofone, Trompete, Trompa, Trombone, Tuba e Bombardino.

Em 2007 foram acrescentados ao concurso o Fagote e o Oboé tendo concorrido 101 jovens músicos do distrito de Aveiro. Desde essa altura o município contou com a prestimosa colaboração da Federação das Associações do Município de Oliveira de Azeméis (FAMOA). Esta feliz parceria ainda hoje existe. Após duas primeiras edições em que o concurso foi destinado apenas aos participantes da região de Aveiro e constatado o interesse e crescente participação, a organização decidiu em 2008 torná- lo de âmbito nacional dando assim a oportunidade de concorrer a um número ainda maior de interessados. Efetivamente a aposta foi ganha pois 339 concorrentes estiveram em representação de 97 concelhos.

A evolução deste concurso, com âmbito nacional, foi de tal maneira que, em 2011 (IV nacional), Oliveira de Azeméis recebeu músicos oriundos de 130 concelhos sendo fortemente referenciado a nível nacional, assim como além-fronteiras, como algo francamente positivo. Pelos números apresentados se pode aquilatar da importância que o meio artístico e, particularmente o da música, atribui ao Concurso Nacional de Instrumentos de Sopro «Terras de La-Salette». Para quem quer fazer da música carreira, já se impõe passar as férias da Páscoa em Oliveira de Azeméis pois uma participação neste concurso prestigia o currículo de qualquer músico. Segundo o parecer dos entendidos, encontra-se anualmente em Oliveira de Azeméis a «nata da nata» do meio musical.

É já considerado por muitos o mais importante concurso de música e o único relativamente às suas características:11 instrumentos, 4 escalões etários, envolvendo larga centena de pessoas (concorrentes, professores, pais e encarregados de educação e até autarcas). Prestigiados músicos e compositores garantem ser uma honra ter o seu nome ligado a este projeto como elementos do júri e pianistas acompanhadores. Essa honra e esse prestígio são recíprocos vistos serem músicos reconhecidos, valorizados e respeitados mundialmente. De referir também que vários concorrentes e laureados neste concurso são hoje nomes importantes em grandes orquestras e escolas de todo o mundo.

Assim, o sucesso das edições anteriores a nível nacional, com solicitações também internacionais, e o prestígio alcançado, bem como o interesse demonstrado por músicos, escolas e orquestras de todo o mundo, guiam-nos para a internacionalização deste concurso.

A Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, consciente da sua responsabilidade social, educacional, pedagógica e artística, e ao ver registado o interesse além- fronteiras, apostou assim na internacionalização desta grande iniciativa que é o Concurso Internacional de Instrumentos de Sopro “Terras de La-Salette”, desde 2012.

PAÇOS PREMIUM

A criação do Concurso Nacional “Paços’ Premium” pela Academia de Música de Paços de Brandão, no ano letivo de 2006/2007 (I edição), foi o culminar de um projeto educativo sustentado num enorme empenho de toda a comunidade escolar. Este trata-se de um concurso inovador/ precursor nesta região que conquistou de imediato uma dimensão notável confirmada pelo excecional número de concorrentes.

Desde a I Edição até à última, o número de candidatos duplicou. Hoje, na sua X edição, este concurso constitui um excelente meio de reconhecer e valorizar publicamente o investimento diário que centenas de jovens instrumentistas fazem para aperfeiçoar a sua técnica.

Realiza-se anualmente, sendo que os instrumentos abrangidos se alternam segundo uma frequência bianual. Os melhores talentos nacionais têm acorrido ao Paços’ Premium, abrilhantando-o com a excelência das suas interpretações, contribuindo ainda para um notório acréscimo de nível. Os concorrentes veem desde o Algarve ao Minho, passando por Lisboa, emprestando uma dimensão verdadeiramente nacional a este já prestigiado concurso.

Entre os objetivos deste projeto figuram a promoção do intercâmbio de aprendizagens entre alunos de diversas instituições, o incentivo à conquista de novos patamares de desempenho e inerente qualificação artística, o despertar precoce de aptidões no domínio da música erudita, a democratização no acesso à Cultura pela promoção de um evento com um elevado nível de performance.

O Concurso Nacional Paços’ Premium assumiu já uma marca identitária cultural e artística não só da AMPB, como do município da Feira e da freguesia em que se insere.

FOLEFEST

O Folefest é já um marco importante no panorama acordeonístico (vertente clássica) e musical, tendo contribuído de forma decisiva ao longo dos anos, para o desenvolvimento e valorização artística do acordeão de concerto em Portugal. Em todas as edições deste evento, participam no concurso, candidatos oriundos de norte a sul do País.

Não menos importante, é a presença de prestigiados músicos nacionais e internacionais, quer no papel de intérpretes nos concertos que se realizam no Festival, quer como júris do Concurso, como Iñaki Alberdi, Vladimir Chernuk, Vladislav Pligovka, Maciej Frackiewicz, Xu Xiaonan, Luís Tinoco, António Rosado, Paulo Gaio Lima, António Carrilho, Pedro Carneiro, Rui Pinheiro (entre outros). A projeção deste evento toma proporções ainda maiores, graças ao apoio contínuo da Antena 2, que transmite em direto o Concerto dos Laureados, permitindo assim a divulgação do Folefest a milhares de ouvintes em Portugal e na Europa.

Local: Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão | Hora: 19h00 | Tipologia: Recital | Público-Alvo: População em Geral; Estudantes de Música; Músicos e Instrumentistas | Informações: geral@cirac.pt ou 227 459 829 / 918 923 529

Agenda

21h30
6 de Maio

Grande Auditório

Roby Lakatos & Ensemble
ver evento
19h00
12 de Maio

Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão

Concerto de Laureados
ver evento
21h30
20 de MAIO

Igreja de Paços de Brandão

Yang Liu (Violino) + Solista OFP
ver evento

17h30
28 de MAIO

Auditório do CiRAC

Rumos Ensemble "Percorrendo Portugal"
ver evento
18H00
2 de Junho

Cineteatro António Lamoso

Violiníssimos da Academia de Música de Paços de Brandão + Ritmare (Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas)
ver evento
21h30
4 de Junho

Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão

Miroslav Kultishev (Piano)
ver evento

17h30
11 de Junho

Grande Auditório Europarque

Orquestra Filarmónica Portuguesa
ver evento
21h30
17 de Junho

Grande Auditório do Europarque

L’Rolling Clarinet Band
ver evento
18h30
18 de Junho

Igreja dos Passionistas

Missa da Coroação - Mozart
ver evento

O Festival

O Festival Internacional de Música de Verão de Paços de Brandão (FIMUV) é um projeto cultural do CiRAC – Paços de Brandão, uma associação cultural, de âmbito juvenil que, desde 1977, de forma ininterrupta, tem vindo a realizar este Festival. Em 2017 o FIMUV comemora a sua 40ª edição sendo, por isso, um dos mais antigos festivais de música clássica apoiados pelos organismos que tutelam a Cultura em Portugal (DGArtes /Ministério da Cultura – ou Secretaria de Estado da Cultura).

Pela direção artística deste Festival já passaram grandes nomes do panorama nacional e internacional, tais como o maestro António Victorino de Almeida e o músico/instrumentista Carlos Piçarra Alves (clarinetista e membro do júri da DGArtes/Ministério da Cultura). Cada um dos diretores artísticos teve um papel relevante e diferenciador para, através da programação cultural, trazer dimensão e notoriedade ao FIMUV.

Em 2012, a Direção do CiRAC – Paços de Brandão convidou o músico/instrumentista e professor universitário Augusto Trindade (violino), cujo percurso profissional e artístico vieram potenciar a dinâmica deste projeto no território cultural de Santa Maria da Feira e da Grande Área Metropolitana do Porto. Com esta escolha foi possível consolidar sinergias com outras instituições locais e nacionais ligadas à Música, nomeadamente a Academia de Música de Paços de Brandão, a Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, bem como outros Festivais de Música e agentes culturais.

A matriz do FIMUV assenta, essencialmente, na dinamização, descentralização e promoção da atividade cultural, através da Música, num território geográfico que vai da Grande Área Metropolitana do Porto até à Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, pelo que, toda a programação é pensada tendo em conta a sustentabilidade do projeto, as necessidades relativas à oferta cultural e públicos, o livre acesso e fruição da Cultura.

Tendo em conta a realidade geográfico-territorial onde está inserido, o FIMUV, nas propostas que apresenta, tem vindo a valorizar o potencial artístico e criativo dos agentes culturais locais, desenvolvendo projetos de cooperação e parceria que cruzam a atividade destes agentes com outros de âmbito nacional e internacional.

Entram no rol de parceiros do FIMUV a nível local, nacional e internacional, entre outros, os seguintes agentes: a Academia de Música de Paços de Brandão, o Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas, o Museu do Papel, o Museu de Santa Maria de Lamas, a Casa da Música – Porto, Festival de Sintra, Câmara Municipal de Castelo Branco, ESART, Concurso Internacional de Música “Terras de La Sallete”, Concurso Internacional de Música do Fundão, Folefest, Casa da Música de S. Petersburgo e Embaixada da Rússia.

O 40° Festival Internacional de Música de Verão, em 2017 será realizado entre 6 de maio e 18 de junho. Contará com 9 iniciativas, envolvendo concertos, recitais, projetos educativos e outros, com propostas de elevada qualidade artística e cultural, na sua maioria gratuitas, a terem lugar em diversos espaços da vila de Paços de Brandão e do concelho de Santa Maria da Feira.

Para 2017 a programação contempla uma programação diversificada que vai desde um concerto de Música de Câmara com a participação do prestigiado violinista Yang Liu, acompanhado por Solistas da Orquestra Filarmónica Portuguesa, um concerto sinfónico, com a recém-criada Orquestra Filarmónica Portuguesa, dirigida pelo Maestro Osvaldo Ferreira, tendo como solista Alexander Ramm, violoncelista premiado em vários concursos internacionais, passando por um recital de piano com o pianista russo Miroslav Kultishev, laureado no 13° International Tchaikovsky Competition (Casa da Música de S. Petersburgo), e ainda a apresentação de projetos pedagógicos e de música coral com a interpretação da Missa da Coroação de Mozart, por um misto de diversos grupos corais, envolvendo o Coro do CiRAC, o Coro do Orfeão Universitário do Porto e o Coro da Sé Catedral do Porto com o acompanhamento musical da Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira, dirigida pelo Maestro Paulo Martins.

De salientar ainda a inclusão na programação de dois concertos com nomes atuais, de referência no panorama musical, nomeadamente: Roby Lakatos, conceituado violinista na vertente World Music, ou os L´Rolling Clarinet Band, grupo de excelência na vertente de sopros.

Galeria

Contatos

Círculo de Recreio, Arte e Cultura

Avenida da Sobreira, 328, 4535-334
Paços de Brandão, Portugal

geral@cirac.pt (+351) 227 459 829